terça-feira, 20 de janeiro de 2015

A empatia que  nos cerca


Meu carro está vazando óleo. Hoje, resolvi abrir mão das oficinas genéricas e fui na autorizada. Bacana e tals, tudo muito organizado. Trinta minutos depois, vem o orçamento de quase 2 mil reais. Eu devo ter ficado com uma cara tão assustada, que a moça até me ofereceu água! Porque, claro, muitos outros problemas apareceram e uma das peças que precisa ser trocada custa quase R$ 800,00.
Saí de lá meio passada, pensando que, obviamente, iria passar numa oficina genérica para ver se conseguia um preço melhor. Mas, naquele momento, tudo que eu queria era não pensar sobre isso. Então, fui pro shopping. Não faz sentido não é? Bom, explico. Precisava comprar e mandar gravar a plaquinha de identidade do Severino (nosso dog) que a dele se perdeu quando ele e o Nacho (dog que resgatamos, cuidamos e doamos a uma amiga) ainda passavam os dias brincando juntos. Aproveitar para bater perna sem compromisso, para não pensar por um tempo no problema do carro, (uma fuga inocente e com tempo contado), bem cedo, sem lotação e com ar condicionado. Fui no quiosque que vende objetos de aço e o rapaz do balcão, um fofo, me atendeu super bem, foi todo simpático,  e ficamos ali de papo enquanto a peça ficava pronta. Falamos sobre animais, sobre respeito a vida e quando a peça ficou pronta (e linda), nos despedimos com um abraço, um “fica com Deus e boa semana”. Assim, um estranho. Mas já aconteceu isso contigo? Você conhece alguém, assim, um atendente de loja, um amigo de um amigo e de repente, sentes uma super empatia por aquela pessoa estranha. Nada de atração sexual não, uma atração de carinho, de cuidado, como se vocês dois fossem velhos conhecidos. Um sentimento de conforto, de conhecimento naquela presença, a princípio, estranha.
Já conheci várias pessoas assim na minha vida. E não nos tornamos grandes amigos, não era preciso. Mas sempre que nos encontramos, nos abraçamos com carinho, com sorrisos sinceros e um “como você tá?” com verdadeiro interesse. E quando fico sabendo que algo aconteceu com essa pessoa, fico realmente feliz quando é positivo e torço de longe pelo novo emprego, o casamento, a gravidez, desejando que tudo seja absolutamente maravilhoso pra ela. E se por acaso, forem novidades ruins, fico triste, e também torço, rezo, para que tudo passe logo e se resolva da melhor maneira possível.
Acredito que a maioria das pessoas já passou por isso. Já aconteceu contigo?
Será que tem algo a ver com vidas passadas? Ou simplesmente nosso coração, nossa alma, sente que aquela pessoa é boa e pronto e, por isso, se aproxima?
Não sei dizer como ou por que, mas acontece. E quer saber, eu adoro quando acontece! Nem sei se é recíproco, mas não importa. Porque é sempre bom sentir o coração cheio de alegria, de carinho e de amor ao próximo, mesmo que ele seja um desconhecido, como aconteceu hoje comigo. Aquele rapaz fez meu dia melhorar e eu me sentir melhor e, por isso, só tenho a agradecer a empatia, a gentileza e a generosidade dele.

Nenhum comentário: